Mostrando postagens com marcador a Pobreza e a Especulação Imobiliária.. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador a Pobreza e a Especulação Imobiliária.. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Memórias de Cartagena, Andaluzía e Lisboa. O Futebol, a Pobreza e a Especulação Imobiliária.



O Excesso de consciência e contato com a Verdade, traz tristeza e a tristeza só pode ser curada através do movimento preciso e titânico em direção a Alegria.  


Através de verdades como essa, a evolução nos planos do tempo e da matéria além de obrigatória se faz inviolável de maneira que as grandes barbáries praticadas no Coliseu, hoje são curadas nas grandes arenas esportivas que tem como pano de fundo principal o futebol. 

Os nossos laços cármicos e encontros no Planeta Terra, tem como argamassa energética a competição que antes no passado linear se tranformava facilmente em morte graças aos nossos aprisionamentos nos arquétipos da Guerra e da necessidade de sentir-se exilado e protegido dos próprios monstros criados, ao longo de tantas existências alimentadas e cultivadas pela crença no inferno cristiano. 

Esportes de competição ocupam nossa mente em momentos de ócio enquanto que o comércio e a realização de ne-gócios (a negação do ócio) ocupa o resto de nosso tempo dando assim um mínimo de sentido a nossas vidas, que é usado para trabalhar e juntar cédulas. 

Dessa maneira Reptilianos desistiram de guerrear e conquistar a terra dos outros por comida e hierarquia e aprenderam a criar fazendas humanas baseada em classes sociais, como o nosso planeta. Os Siríanos desistiram de vingar-se e começaram uma Medicina eficiente, Os Pleayadianos deixaram de pensar e fazer tanto sexo e começaram a estudar genética, os Árabes desistiram de delinquir e violar tanto, os Judeus desistiram de enganar e tirar vantagem de tudo e os chineses aprenderam a existir sem vergonha de seu passado de rigor e sangue. 
O Comércio é responsável pela civilização tanto dos povos indígenas dizimados no passado, como dos povos ocidentais, cristianizados e bárbaros. Uma simples cédula de papel e tilintar de moedas de aspecto metálico adestrara o Humano contemporâneo de maneira que hoje esse encontra-se minimamente docilizado e adaptado de forma a conseguir adentrar os domínios do cinturão fotônico, ainda que seja até certo ponto. 









O grande paradoxo de sustentar e ser feliz dentro de um Lar é o mesmo que nos encarcera nos domínios do tédio criado por uma rotina que nem sempre pode ser cem por cento controlada e depende de fatores externos para ver-se materializada. Da mesma maneira que ter sua própria casa e sentir-se feliz dentro dela é importante, saber fechar essa e sair de viagem se faz fundamental em momento de solidão, crise, dúvida, impotência e outras vertentes negativas e regressivas da realidade humana. 




E assim foi feito no último mês de julho de 2017; Nossa Casa Real e Grupo de Sábios através de seu veículo físico, depois de muita preguiça e relutância decidiu ir-se de viagem e o primeiro lugar que sabiamos que devíamos estar era Mesmo Cartagena. Não foi possível encontrar um trem que nos levasse direto ali e então paramos na cidade de Valência, onde passamos uma noite e logo nos dirigimos ao destino principal. 





Cartagena é uma cidade imponente na divisa do Mar Mediterrâneo com Atlântico onde a marinha espanhola tem a garagem de seus submarinos e uma cidade fantástica que sempre serviu de forte, pouso e cofre para guardar riquezas. 

A missão que tínhamos em Cartagena ficou claro somente a partir da segunda noite de viagem, quando nosso veículo físico adentrou um Bar, propriedade de uma jovem Equatoriana que era mãe de 02 filhas e que tinha passado toda seus aproximados 40 anos de vida trabalhando feito louca para poder sustentar e dar tudo de bom e de melhor para os próprios filhos e ainda assim não era feliz. Alguns dias de convívio e contato com nosso Médico Animósico e recebendo assistência médico-terapêutica tanto em níveis 3D como 4D através da Anemosía Cuántica foram suficientes para que a Jovem que vamos chamar de Maria, pudesse compreender tudo de errado que vinha fazendo em sua vida e o quanto estava repetindo padrões de comportamento que a mantinham dentro de um Looping de infelicidade que era repetido em diferentes setores da própria vida. 





Apesar de talentosa empresaria e ser humano sensível, Maria estava viciada em ser vítima e assim havia criado para ela uma realidade de sofrimento e abuso. Depois de montar um lindo restaurante mexicano em Cartagena, seu irmão veio do Equador e começou trabalhar com ela, de maneira que a inveja, as disputas e os ciúmes criaram uma relação insuportável entre ambos, da qual ela preferiu abdicar e montar outro negócio para sí, deixando então que o irmão dirigisse o negócio que ela havia montado. 

Em seu novo espaço o mesmo padrão de comportamento repetitivo e limitante foi repetido por Maria, porém dessa vez através do cozinheiro. O mesmo era um italiano que apesar de simpático e carismático, era bastante folgado, vampiro e a estava manipulando de maneira a ser ele o "chefe" ao invés do contrário. Não bastando isso, havia uma relação de vampirismo pura e dura com clientes, fornecedores e também com uma figura singular; Um Africano que vamos chamar de Mamaduque. Esse se dizia "O Corte Inglês Africano" como ele insistentemente dizia cada vez que chegava com uma variedade imensa de "coisas" para vender que eram basicamente artesanatos, pulseiras e colares de feito com artefatos africanos e etc. 










Mamaduque não consumia um Euro no Bar de nossa Amiga, mas estava sempre lá e dizia "ajudar muita gente". Se dizia Médico e Professor. Contava histórias que dizia ter vivido pelo mundo em regiões de guerra no Saara africano. Era simpático, conversador de puxar assunto. Inssistia em presentear a todos com um colar ou pulseira, como fez comigo, mesmo quando claramente não se tinha interesse em receber o "presente. Mamaduque era Um negro grande e forte, de traços arredondados, olhos brancos como a lua cheia de iris castanhas escuras e profundas. Usava óculos estilo clarck kent com Pose de intelectual, apesar de visivelmente ter entregado os pontos a carne morta e ao açúcar. 







Tudo ficou claro quando a dona do local em momento de desabafo terapêutico disse que não aguentava mais; Há 04 dias que Mamaduque ia ao restaurante dela, dizer a ela que tinha tido uma "visão" onde um trabalho de magia negra havia sido feito contra ela. Ela teria de se proteger e fazer um trabalho de proteção que tinha valor de 400 euros e também tinha que sacrificar um cordeiro. Ele dizia que ela não tinha com que se preocupar pois ele cuidaria de tudo. Ele realmente acreditava nisso e insistia, criando desconforto em Maria, que apesar de sentir-se enforcada e em dúvida, sorria e não resolvia nem acabava com aquele assunto. 


Não apenas nossa nova amiga e paciente, que é empresária e comerciante passa por coisas como essa, que envolve desde o machismo em família até a inssistência para participar de coisas que se desconhece, mas a grande maioria das pessoas que são empreendedoras e se doaram a causas aparentemente nobres como matar-se de trabalhar para dar tudo do bom e do melhor para os filhos, esquecendo-se inclusive de si mesma. 









Ao conhecer nosso veículo físico e Médico Animósico, Maria entrou em contato com uma série de verdades que iam sendo reveladas na medida em que o trabalho de psicoterapia e leitura psíquica se dava de forma natural e espontânea. 

É disso que se trata ser Conector Atemporal; Ter acesso, Filtrar, analizar e ler toda informação quântica seja em níveis espirituais, cármicos, adeênicos ou psíquicos, seja de pessoas, terrenos, geografias ou locais e conseguir sintetizar essas  informações de maneira tanto verbal quanto sanadora, criando soluções práticas e infalíveis para problemas e defeitos que pareciam fisiológicos ou intransponíveis.


Ao sair de Cartagena depois de pouco mais de 07 dias de Trabalho, nos dirigimos para a região de Andaluzía nas cidades de Sevilha e logo Córdoba para depois finalmente chegar em Portugal, Lisboa.

Na Andaluzia nos foi revelado o grande estrago que o cristianismo fez no passado de Espanha, no que tange os templos psíquicos da humanidade que ali habitam. 


Foi em Andaluzía que as pessoas começaram a sentir a necessidade de flagelar-se, odiar a si mesmo e ao diabo como prova de amor ao cristo, importar-se mais com a sexta feira da paixão e dar de costas para todos os outros dias da vida e do ano. 

Se Portugal é um lugar triste, de psicosfera lúgubre privado de alegria, infância e esperança com bem canta e prova o Fado é graças a tudo o que houve em Andaluzía para que Jesucristo pudesse ser adorado de maneira flagelante, antihumana, odiosa e em forma de orgia.







Ali naquela região de espanha se ama a pobreza e a penitência, vive-se como numa espécie de devoção cigana, sem jamais ter saído do lugar. De maneira que as casas são bastante grandes e confortáveis, invadem as calçadas obrigando os pedestres a caminharem entre os carros, quase serem atropelados, dando a entender que cidadania não é importante; O que é importante é o comércio, os automóveis, as lojas, cafeterias e bares, a Igreja e a procissão e quando tem procissão não tem carro, então tá tudo resolvido. Os Seres humanos e transeuntes não valem nada. Eles que se virem para participar dessa sociedade de calçadas estreitas e ruas largas.











O garçom do restaurante na cidade de Córdoba apesar de simpático e atencioso tinha sua sexualidade e energía Kundalinica descontrolada. Ele não sabia que era homosexual e vendia a imagem de um galã andaluz hetero, feliz por ser garçom e certo de ser empreendedor, graças a umas pulseirinhas que fazia ele mesmo e distribuia para ser vendida aos turistas, em todas as lojas da cidade. Esse ficou inconformado com nosso veículo físico (que ora ou outra atua nas ruas de Europa como Músico) por esse não querer ir pedir dinheiro após algumas músicas e preferir que as pessoas que quisessem doar viessem e doassem como reconhecimento e gratidão a música. Dizia o camareiro que "estava perdendo un 30 pagos".

Ficou claro que o Poder do comérico ou de sobreviver através dos próprios esforços e contatos, gerava tanto orgulho no rapaz que o mesmo já não se conectava com sua realidade instintiva e orgástica, criando assim uma considerável barriga proeminente e caída que parecia crescer cada dia, que revelava e confirmava que há cada dia após horas longas de trabalho, sentia-se sozinho em casa, (ainda que parecesse viver com os pais) e a geladeira provavelmente era assaltada em horários exóticos como forma de combater a insônia, a solidão e depressão, mesmo depois de um lauto jantar, que é o que mantém todo garçom apegado a seu emprego. 


Se tinha uma coisa que as pessoas comuns tinham em comum seja em Cartagena, Andaluzía ou Lisboa era "gostar de futebol", assim como beber e fabricar uma cerveja de péssima qualidade. 




Em Cartagena se sobrevive graças a uma variedade internacional de cervejas disponíveis em muitos lugares. Porém, Na Andaluzía e em Portugal as cervejas não tem qualidade pois estão feitas com milho, algumas inclusive levam xaropes de glicose e outras extratos de malta, gerando assim economia e grandes lucros para as indústrias cervejeiras, as custas de criar uma população retardada, pouco exigente, destruída em níveis orgânicos, mentais e sensíveis e sem condições de ser cidadã ou sequer humana com o mínimo de consciência de si mesma seja como indivíduo seja como parte de um todo. 




Enquanto no Norte de Europa desde 1500 existe uma Lei (Lei de Pureza da Baviera) para controlar a pureza de uma bebida que além de alimento é sagrada para toda raça humana, no Sul de europa, graças ao cristianismo as pessoas aprenderam a endemonizar esse líquido como "álcool", criando assim uma dieta baseada em doses cavalares diárias de carne, açúcar, farináceos, café e leite, destruindo a cultura dos bares, fundamental a sociabilidade e dieta humana para criar a cultura das pastelarias, fazendo de todos seus frequentadores nada melhor que velhas cristãs infantilizadas por açucar, que além de retardar e desconfigurar a sensibilidade humana, materializaram doenças que não existem como a Intolerância a Lactose e ao Glútem, que são essenciais a felicidade humana, porém em pequenas doses que devem ser elaboradas pelos mecanismos metabólicos de qualquer pessoa através de sua própria intuição. 




Do ponto de vista da dieta, a melhor segue sendo a mediterrânea que preza por um nível de bom senso, que por vezes é preciso viver e estudar um pouco de história para poder bem absover. 




Nesse aspecto, apesar das sobremesas e salgados baseados em carne tanto suína quanto bovina, Lisboa (toda Portugal) é Impecável e conseguiu substituir o vício em carne bovina e suína pelo vício em Bacalhau o que é o mesmo ou proporcional a livrar-se do vício da cocaína graças ao vício em cannabis. 







Vale lembrar que ter vícios que você considere essencial a sua felicidade e praticar esses com disciplina e consciência, baseado em Amor, vale infinitamente mais do que não ter vícios nenhum e graças a isso achar-se "superior" ou ter certeza de que isso é encontrar a "felicidade". Prolongar sua vida no planeta Terra abrindo mão do que te faz feliz para ter mais "saúde" ou por medo de adquirir doenças definitivamente não é um sinal de inteligência mas de profunda burrice, Ignorância e uma forma de perpetuar-se como refém do medo e do complexo de vítima. 













Mas a grande verdade que tem como razão esse texto é relacionar a paixão por pobreza e austeridade que as nações mais cristianizadas do globo terrestre praticam e como essas foram herdadas em nossas existências e heranças em níveis DNA em todo Brasil. 





A Grande cereja do bolo de merda feito pelo cristianismo no Sul de Europa, muito além da cerveja de péssima qualidade, excesso de café, leite e açúcar e miséria generalizada é a especulação imobiliária. 


Se tinha uma coisa que era difícil nos tempos de imigrante e hoje não é, é alugar um apartamento. Naquela época nem sonhava com essa possibilidade pois tanto as imobiliárias como os proprietários pediam uma burocracia absurda, que somente aquelas pessoas que tinham salário fixo, papéis em dia e emprego registrado, poderiam dar-se ao luxo. Assim sendo, durante os anos de imigração, principalmente ilegal, passei a vida acostumado a alugar quartos em casa de pessoas estranhas, geralmente infelizes por sentirem-se pobres graças a crença de que não podiam fazer mais dinheiro e pagar um lugar para estar só e assim tinham que alugar quartos para pessoas como eu.

O Futebol havia mantido e ainda mantém as pessoas tanto de espanha como de portugal completamente adormecidas e narcotizadas por seus idolos arrogantes, distantes, decadentes e asquerosos, como é Cristiano Ronaldo R7 ou Leonel Messi. Isso permitiu a pobreza alastrar-se por todas as etapas da história de maneira que quanto mais pobre, mais respeitada uma pessoa é, ainda que esse respeito se dê através da distância e da pena e não da admiração e reconhecimento.

O que esses povos e pessoas não imaginavam é que suas paixões por pobreza e cristianismo se rebeleriam contra elas mesmas, a ponto de elas perderem suas próprias casas e terem de ver suas vizinhanças desconfiguradas. 


Depois de mais de milênios e milênios encarnando no mesmo lugar e sendo parte da configuração local 3D de toda uma história e tradição lusa, aquelas pessoas trabalhadoras que viviam toda uma vida em uma mesma casa alugada sem pretenssões de crescimento ou grandes mudanças, felizes por serem quem sempre foram sem avaliar os níveis de miséria que isso esconde, se viram obrigadas a irem embora da cidade. Pois os proprietários das casas, graças ao Airbnb e o o turismo, mais a facilidade criada para alugar quartos e apartamentos sem burocracia, tendo apenas dinheiro, havia super valorizado os valores de mercado e também havia convencido o coração dos homens que eram os donos e proprietários, que valia a pena desconfigurar suas vizinhanças recheando essas de turistas chineses, russos, italianos que agora habitam as casas de forma rápida, pagando em dobro ou em triplo por semana o que antes se fazia em um mês e quem sabe isso seja melhor que a tradição, amizade e consideração de décadas, criada por uma vizinhança. 

Na imobiliária em Lisboa foi um golpe duro ver a risada sínica e cheia de ironia e de satisfação que deu a corretora de imóveis ao ser questionada pela desconfiguração da vizinhança. Aquelas pessoas estão realmente convencidas que as casas existem não para serem alugadas e servirem de vivendas as pessoas mas simplesmente para gerar o máximo de lucro possível e a qualquer custo aos seus poucos e cada vez mais escassos proprietários. 

A cara da corretora de imóveis convencida e aquele sorriso sínico que queria dizer-me: "esse aí ainda não compreendeu como as coisas realmente funcionam" me explicou séculos de dúvidas a respeito do porque os portugueses sempre tiveram fama de serem tão peculiares no que tange o bom uso da inteligência e por que no Brasil não conseguem nada, que não seja ser dono de padaria e na frança não conseguem nada, que não seja um patrão pra invejar, admirar, puxar o saco, obedecer e ser para sempre, dócil. E no resto do mundo tampouco conseguem alguma coisa, pois nem chegaram ali e ninguém gosta de gente triste que faz pose para esconder as próprias mentiras e tristezas e se deixa sugar até a morte pela crença de que dinheiro é a coisa mais importante do mundo e da vida. Os portugueses se fuderam por ser assim e pagam até hoje. Não consegue fugir de sua aura messiânica jesuíta usada para impedir o contato com toda a ressaca da escravidão e da perda do Império tanto das Índias como do Brasil, para o capital Inglês.

O Português de hoje não tem nada haver com o Português que "descobriu" o Brasil, escravizou e colonizou parte do mundo. Muito pelo contrário renega e esconde de si mesmo e para o mundo seu próprio passado, sentindo profunda indiferença e desprezo por gente e países como o Brasi e Índia, (como se não tivesse nada haver com a história), que é de onde mais extraíram riquezas.






Diferente de Barcelona e Berlim, Lisboa não possui um plano de vivendas de aluguel a preço justo feito pela sua prefeitura, federação ou pelo Estado, na intenção de equilibrar a especulação imobiliária dando o mínimo de dignidade para quem vive na periferia ou é trabalhador. 

Apesar do Governo ser de Esquerda, o Português em geral e principalmente o Lisboetas, igual acontece com o povo no Brasil, querem mesmo mesmo que tudo e todos se fodam, para continuar fazendo piada e praticando a crença de que ser feliz é ser indefeso e ter uma perspectiva bem humorada de tudo, inclusive das próprias mazelas, mentiras, incompetências e desgraças. E dessa forma as pessoas que não tem compreensão e não aprendem a fazer e principalmente gastar dinheiro, vão sendo expulsas das capitais e sendo obrigadas a regressarem a cidades pequenas, ao mundo rural, a existência bucólica de quem acredita que a vida é apenas comer, dormir, cagar e falar mal da vida dos outros, enquanto se diverte com a desgraça alheia e conta vantagens das próprias.

Que todos tenham paz, saúde e sejam muito felizes.

Namastê, Paz Interior.

Ruy Mendes - Agosto 2017.
Ocorreu um erro neste gadget

Visualizações de páginas da semana passada